Delgado indignado por a esposa não ter sido autorizada a acompanhá-lo na campanha

14 de outubro de 2021

Fernando Delgado, candidato Presidenciais 2021
A+ A-

O candidato diz não estar convencido com uma explicação da Polícia Nacional e pede a intervenção da Comissão Nacional das Eleições e da Comissão Nacional para os Direitos Humanos.

Depois de percorrer as ilhas do Sal, Boa Vista e Santiago, Fernando Delgado regressou a São Vicente onde esteve, ontem, em campanha.

A poucos dias das alterações, para além do apelo ao voto na sua candidatura, Delgado encoraja os eleitores a irem votar, numa clara luta contra a abstenção.

Delgado enalteceu uma forma entusiástica como foi obtida pelos seus apoiantes e garantia ter regressado com mais energia e confiante num bom resultado no Domingo. No entanto, o candidato admite que não tem sido fácil e a culpa, diz, é dos políticos.

O candidato manifestou também a sua indignação pelo facto da Direcção Nacional da Polícia não autorizar a esposa, que é o agente da Polícia Nacional, a acompanhá-lo nas suas acções de campanha. O candidato que não está convencido da explicação da Polícia Nacional, pede a intervenção da entidade nacional responsável pelas razões e pelos direitos humanos.

Segundo Delgado, nem sequer se trata de um pedido de dispensa, uma vez que a esposa se encontra de férias. Razão que leva o candidato a questionar e remata afirmando esperar que, depois das alterações e independentemente dos resultados, nem ele nem a sua esposa venham a sofrer represálias.

Fernando Delgado que continua a sua jornada de campanha sem a companhia da esposa está, hoje, na localidade de Tarrafal do Monte Trigo, no concelho de Porto Novo esteve, ontem em campanha na ilha de São Vicente, depois de um périplo de 9 dias pelas ilhas do Sal, Boa Vista e Santiago.

 

Raquel Mendes | Adaptação Web e disponibilização: VNBorges, estagiária em jornalismo



Artigos Relacionados