CAN Andebol: Cabo Verde vence Quénia (27:22) e conquista Taça Presidente

17 de junho de 2021

A+ A-

A seleção cabo-verdiana de andebol feminino derrotou na tarde desta quinta-feira o Quénia por 27:22 e conquistou a Taça Presidente, troféu qdisputado entre as seleções que não conseguiram passar a primeira fase da competição.

Num jogo que começou muito equilibrado (ao intervalo havia empate a 12 bolas) valeu a melhor organização da equipa nacional na segunda metade, tendo partido para uma vantagem final de cinco bolas.

Com este resultado, o combinado cabo-verdiano, que fazia estreia absoluta no CAN, deixa a competição com um saldo de duas derrotas (com Angola e Congo) e duas vitórias (diante do Madagáscar e do Quénia).

A vitória diante das quenianas dá a Cabo Verde um troféu que, segundo a selecionadora Ana Seabra, transmite boas sensações à equipa.

“A sensação é boa, conseguimos atingir pelo menos um dos objetivos que tínhamos definido. Ficámos num grupo bastante fortes, com Angola e Congo que ficaram apurados para o mundial. As vitórias são para festejar, estou muito contente com o progresso da equipa. Acabou a nossa participação no CAN e tenho de dizer que foi positiva”

A avaliação positiva da selecionador é secundada e ampliada pelo Presidente da Federação Cabo-verdiana de Andebol, António Teixeira.

“Estávamos num grupo extremamente forte com Angola que está na final e com o Congo que vai disputar o terceiro lugar. Depois, tivemos que jogar na fase onde tínhamos equipas que sabíamos que tínhamos andebol para sermos melhores e isso confirmou-se. Penso que sair do CAN com duas derrotas, duas vitórias e com a conquista da Taça Presidente só pode ser um balanço extremamente positivo”, declarou o presidente da FCA à Rádio de Cabo Verde

No duelo com as quenianas, a ponta Xula, jogadora do ABC da Praia, foi quem mais se destacou e recebeu o troféu de melhor em campo.

O CAN, que começara mal, termina em festa para Cabo Verde. Esta sexta-feira, Angola e Camarões disputam o título de campeão africano. Perspectiva-se um duelo bastante interessante entre uma superpotência africana (Angola vai para a sua 15ª final, tendo ganho 13 e perdido apenas uma) e equipa camaronesa que joga em casa.

Oiça, em baixo, a notícia da RCV com as declarações de Ana Seabra e António Teixeira:



Artigos Relacionados