"Atletas de Cabo Verde terão ainda uma série de requisitos a preencher para garantir presença no Japão" - Filomena Fortes

01 de março de 2021

Filomena Fortes, Presidente do Comité Olímpico Cabo-Verdiano
A+ A-

A presidente do Comité Olímpico Cabo-Verdiano (COC), Filomena Fortes, foi eleita, recentemente, vice-presidente da Zona 2 da Associação de Comités Olímpicos Nacionais Africanos.

Em conversa à RCV, Filomena Fortes destaca o trabalho desenvolvido junto da ACNOA. A responsável máxima do COC aborda ainda a gestão da entidade e a preparação dos atletas nacionais para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Começando pela recondução ao cargo de vice-presidente da Zona 2 da Associação de Comités Olímpicos Nacionais Africanos, Filomena Fortes encara com naturalidade e satisfação. "Mostra que o nosso trabalho foi positivo. E nem sequer houve eleição, a continuidade foi por aclamação de todos os países presentes".

Já em ano de Jogos Olímpicos, previstos para o verão deste ano, em Tóquio, a presidente do Comité Olímpico explica que os atletas de Cabo Verde terão ainda uma série de requisitos a preencher para garantir presença no Japão. "Ainda não temos ninguém confirmado. Podemos avançar que a natação irá levar duas atletas por wild card e atletismo um atleta...isso é grantido, mas neste momento ainda não podemos avançar com os nomes".  

O Comité Olímpico Internacional concluiu uma auditoria ao Comité Olímpico Cabo-verdiano, relativa ao período de 2016 / 2019, com elogios à performance financeira do COC. Filomena Fortes destaca os princípios da boa governança nas actividades realizadas durante o quadriénio.

A auditoria que foi operacionalizada pela consultora internacional PricewaterhouseCoopers que avaliou as formações de agentes desportivos, a participações em competições internacionais e ainda a realização dos primeiros Jogos Africanos de Praia, que tiveram lugar, em Junho de 2019, na ilha do Sal.

Pedro Paulo Moreira / RCV