Futebolistas de Santiago Sul manifestaram-se esta tarde pelas ruas da cidade da Praia

24 de fevereiro de 2021

[foto Décio Barros]
A+ A-

Com a iniciativa quiseram exigir a retoma das competições na região e chamar atenção para as dificuldades que estão a enfrentar por causa de uma paragem que já dura quase um ano.

Da Fazenda, ao Plateau, passando por Achada de Santo António, Terra Branca e Várzea, as palavras de ordem foram sendo repetidas com muita ênfase: "Queremos Futebol!", "Respeitam os jogadores!", "Estádio da Várzea não é desculpa!".

Depois de mais de uma hora a marchar, concentraram-se em frente ao Estádio da Várzea. Rony Tavares, jogador da Académica da Praia e um dos promotores da iniciativa, deu voz à indignação dos jogadores. "Com esta manifestação esperamos ser ouvidos pelas entidades desportivas. Muito jovens dependem do futebol para estudar e sustentar familia".

A RCV ouviu também Admar, experiente jogador que já representou equipas como Bairro, Sporting, Boa Vista, e até chegou à seleção nacional, diz nunca imaginar que passaria por uma situação destas. "Estou no futebol há muitos anos de futebol, é uma situação inédita, mais de um ano parado. É uma situação difícil de gerir, temos família, renda de casa para pagar. Apelamos a quem de direito para arrancamos com as competições".

Gegê, ex-defesa central da seleção nacional, e que tanto jogou no Estádio da Várzea, também juntou a sua voz à manifestação em solidariedade para com os que estão a travar essa luta.

A manifestação reuniu futebolistas masculinos e femininos. Contou também com a presença de alguns treinadores. Tudo para pressionar os clubes a mudarem de ideia e viabilizar a retoma das competições numa das maiores regiões desportivas do país.

Benvindo Neves / RCV