Inexistência de uma lei especifica para a pesca costeira em Cabo Verde é uma das lacunas, que a FAO quer ajudar

22 de fevereiro de 2021

[foto Décio Barros]
A+ A-

A conferência anual da Iniciativa Pesca Costeira reúne-se ao longo desta semana. O epicentro é Cabo Verde em plataforma digital devido à pandemia da Covid-19.

Um dos temas sobre a mesa é justamente o impacto da pandemia no sector das pescas. 

A conferencia é aberta pelo Ministro dos Assuntos Marítimos e das Pescas da Indonésia, uma das áreas de implementação da Iniciativa Pesca Costeira onde também países de África Ocidental e o Equador.

África Ocidental, América Latina e Indonésia são as três regiões onde a Iniciativa Pesca Costeira está a serdesenvolvida conjuntamente pela FAO, PNUD e Fundo Mundial para o Ambiente, financiador do programa. A conferencia que ora se realiza conforme avança a coordenadora do projecto da FAO Cabo Verde, Idelmira Carvalho, vai servir para avaliar a pesca costeira.

Avaliação essa que está assenteem dois componentes fundamentais, governança das pescas e cadeia de valores. Idelmira Carvalho aponta as recomendaçõesde melhorias da FAO,em relação à governança das pescas no país.

No que tange à acrescentar valor ao pescado, Idelmira Carvalho faladas boas práticas notratamento e conservação, que vão ser trabalhadas junto dos pescadores e peixeiras.

Inexistência de uma lei especifica para a pesca costeira em Cabo Verde é uma das lacunas, que a FAO quer ajudar o governo a suprir e hoje vão estar reunidos virtualmente com os parceiros. O objectivo é partilhar experiências e avaliar as actividades pesqueiras, para garantir uma pesca mais sustentável nas regiões África Ocidental, América Latina e Indonésia.