Trabalhadores do Ministério da Agricultura e Ambiente em Santo Antão marcam greve de dois dias

10 de fevereiro de 2021

Santo Antão [foto Décio Barros]
A+ A-

Trabalhadores de todas as estruturas do Ministério da Agricultura e Ambiente em Santo Antão entram em greve a partir de 17 de fevereiro durante dois dias.

O presidente do Sindicato Livre dos Trabalhadores de Santo Antão aponta como motivações atrasos na progressão de trabalhadores e retroativos negociados, mas que ainda estão por receber. Carlos Bartolomeu confirma  que há guardas florestais que auferem menos que o salário mínimo nacional.

Durante 48 horas, a contar das 0 horas do dia 17 de fevereiro, trabalhadores afetos às delegações do Ministério da Agricultura e Ambiente dos três concelhos da ilha de Santo Antão, mais precisamente  do centro agrícola de Afonso Martinho, Antena de Rocha Grande, Planalto Leste, Lajedos, Alto Mira, Ribeira da Cruz, Ribeira dos Bodes e Tarrafal de Monte Trigo estarão em greve, devido a não resolução de alguns problemas enfrentados já há algum tempo. Segundo o secretário permanente do Sindicato Livre dos Trabalhadores de Santo Antão, o pré-aviso de greve já foi entregue e cerca de 90% dos trabalhadores já aderiram.

Carlos Bartolomeu diz que há muitos atropelos na lei laboral e fala em discriminação por parte do Ministério da Agricultura e Ambiente para com os trabalhadores.

Trabalhadores das delegações do Ministério de Agricultura e Ambiente de Santo Antão fazem greve de 48 horas alegando discriminação e falta de abertura para diálogo da entidade patronal. 

Reportagem RCV com jornalista Teresa Pinto


Artigos Relacionados