Cabo Verde vai ter um Plano Nacional de Contingência da Gripe Aviária altamente patogénica

11 de agosto de 2022

A+ A-

Apesar de não registar nenhum caso da doença, Cabo Verde está a preparar um Plano de Contingência da Gripe Aviária Altamente Patogénica, uma das variantes mais contagiosas do H5N1, que afecta aves e até seres humanos. A justificação para esta iniciativa resulta do facto de alguns países da região de África Ocidental terem já repertoriado situações de contágio que podem ser exportadas para os países vizinhos, tendo em conta as facilidades de mobilidade existentes na CEDEAO.

“Prevenir e não remediar” é a filosofia subjacente à decisão de dotar o país do referido plano, tendo em conta que, em 2021, foram inventariados surtos de H5N1 na Mauritânia e na Nigéria, com origem em aves migratórias. É pelo facto de Cabo Verde também estar exposto a esse tipo de riscos que o Plano de Contingência da Gripe Aviária Altamente Patogénica está a ser preparado, devendo ser validado num atelier que decorre hoje e amanhã na cidade da Praia.

Os riscos de que o país se defenderá com a aprovação e a implementação desse plano foram sublinhados pelo Ministro da Agricultura e Ambiente, que procedeu à abertura do seminário em referência, que conta com a participação de técnicos, especialistas e responsáveis dos sectores de agricultura, pecuária e saúde, entre outros.

O Plano de Contingência da Gripe Aviária Altamente Patogénica contempla medidas como sensibilização das populações, reforço da capacidade de resposta e de inspeção das instituições,  formação de técnicos e ajustes na monitorização dos fluxos de aves migratórias, ainda de acordo com Gilberto Silva, para quem as expectativas são de que Cabo Verde nunca venha a registar um único caso de gripe aviária, na sua estirpe altamente patogénica.

Os primeiros casos de H5N1 surgiram na China há mais de 20 anos, e de tempos-a-tempos o continente africano também regista focos dessa doença contagiosa que afecta aves como a galinha, o perú, o pato, a codorniz e, igualmente, espécies migratórias.

Artigos Relacionados