RCV - Historial

A Rádio de Cabo Verde nasce da nacionalização de rádios privadas.

Acredita-se que foi no ano de 1934 quando se ouviu, pela primeira vez, emissões de rádio em Cabo Verde (Nogueira, 2013). Mas foi preciso esperar até 1945 para se ver nascer, na Praia, a primeira emissora cabo-verdiana. Chamava-se Rádio Clube de Cabo Verde, uma rádio privada. Dois anos mais tarde, em 1947, nasceria em S. Vicente, uma segunda emissora privada – a Rádio Clube do Mindelo. Na mesma cidade surgiria ainda, em 1949, a chamada "rádio Pedro Afonso" - mais precisamente, posto experimental CR4AC (Santos, 2009).

A Rádio Clube do Mindelo passaria a designar-se de Rádio Barlavento, em 1955, quando recebe um novo aparelho e o Grémio do Mindelo, dono da rádio, recebe o título de utilidade pública do governo da Província. A nove de dezembro de 1974 a Rádio Barlavento é tomada de assalto por populares e militantes instruídos pelo Partido Africano da Independência de Guiné-Bissau e Cabo Verde - PAIGC. Exigia-se uma programação mais nacionalista e “tirar a emissora das mãos quem alinhava com o poder colonial” (Santos, 2009). A Rádio Barlavento passa a ser a Rádio Voz de S. Vicente. Na Praia, também sequência dos acontecimentos de 9 de Dezembro “a Rádio Clube de Cabo Verde, foi transformada em Rádio Voz di Povo, mas logo após a Independência foi convertida num departamento do Estado, a Emissora Oficial de Cabo Verde” (Gonçalves, 2015).

Já no período da independência do país e num regime de partido único, as duas principais rádios privadas – a Rádio Voz de São Vicente, no Mindelo, e Rádio Clube de Cabo Verde, na Praia, mais uma retransmissora no Sal - foram nacionalizadas em 1986 e tranformadas numa emissora estatal, a Rádio Nacional de Cabo Verde, RNCV. A justificação foi sócio-política, no sentido de dotar o país recém-emancipado de uma rádio com uma programação nacional que service o povo. Nessa altura, não se podia dizer que a RNCV fosse uma rádio de serviço público mas sim uma rádio estatal, dado ao seu controlo absoluto pelo governo de então.

Em 1992, depois da abertura política em 1991, que deu origem a um regime democrático, voltaram as iniciativas privadas de rádio. Começava um novo panaroma no setor da rádio e da televisão no país, dominado pelo serviço público de rádio e televisão. Mas foi em 1997, já na segunda república do regime democrático que se deu a passagem das emissoras de rádio e de televisão estatais para um serviço público de rádio e televisão, com a junção da RNCV e da TNCV numa única empresa pública - a Rádiotelevisão Cabo-verdiana, Empresa Pública (Decreto-Lei nº 33/97 de 26 de Maio). A RTC, EP foi dotada de um estatuto que garantiu a sua independência e imparcialidade perante os poderes políticos, económicos, religiosos e de qualquer outra força ou ideologia de pressão. A rádio pública passou a designar-se RTC FM e a televisão RTC TV. Em 2000 a empresa é transformada numa sociedade anónima, a RTC, AS (Decreto-Regulamentar nº 3/2000, de 24 de Abril), para se adequar a nova Lei de Bases das Empresas Públicas recém-aprovada (Lei nº 104/V/99, de 12 de Julho).

Com o regresso do PAICV ao poder em 2001, a rádio passou a ser chamada de Rádio de Cabo Verde (RCV) e a televisão, Televisão de Cabo Verde (TCV), permanecendo até ainda com esse nome. Em 2007 nasceria o segundo canal da rádio pública voltada para a camada jovem. A RCV+ iniciou oficialmente as suas emissões em 22 de Dezembro de 2007 na Praia, na frequência de 95.5 Mhz. Em 2015, por iniciativa do govero do PAICV, a RTC incorporava a Agência Cabo-verdiana de Notícias (Inforpress) passando a empresa a designar-se RTCI – Rádiotelevisão Caboverdiana e Inforpress, SA (Decreto-lei nº 53/2015, de 24 de Setembro). Mas logo em 2016 a lei foi revogada pelo MDP, acabado de chegar ao poder, voltando a separar as duas empresas (Decreto-lei nº 38/2016 de 6 de Julho).

Humberto Santos - Diretor da RCV - Praia 15 de Maio de 2017.

Biografia
Nogueira, Glaucia (2013) - Notícias que Fazem a História, a música de Cabo-Verdiana pela Imprensa ao longo do século XX.

Santos, Carlos (2009) - História da Rádio em Cabo Verde, http://kriolradio.blogspot.com/2009/04/historia-da-radio-em-cabo-verde.html

Santos, Carlos (2011) – O Elo Mais Fraco http://kriolradio.blogspot.com/2011_05_22_archive.html

Publicidade