Notícias

publicado em: 10 Abr 2020

Covid-19: Santo Antão com 13 pessoas em quarentena e nenhum caso suspeito há um mês

Cidade da Ribeira Grande, Santo Antão

A Região Sanitária de Santo Antão não regista nenhum caso suspeito do Coronavírus desde da primeira semana de Março. No entanto, a nível da ilha estão 13 pessoas em quarentena domiciliar sem qualquer sintoma.

A situação na Região Sanitária de Santo Antão é normal não tendo sido detectado casos suspeitos do covid-19 nas últimas semanas. Porém há neste momento algumas pessoas em quarentena domiciliar conforme adianta a Directora da RSSA Ângela Gomes.  

“Desde a primeira semana de Março não registamos mais nenhum caso suspeito. Com a entrada em vigor do Estado de Emergência temos tido muitas pessoas em quarentena, gente que veio da Boa Vista, Santiago e, mais recentemente, de São Vicente. Neste momento em toda a região sanitária de Santo Antão temos 13 pessoas em quarentena”, informou a médica.

Segundo aquela responsável a Região Sanitária tem sabido gerir a situação com o seguimento das medidas de segurança e de distanciamento social em todas as estruturas com o maior rigor possível com a separação do atendimento dos pacientes com sintomas respiratórios bem como a criação de condições fora das estruturas para atendimento dos casos suspeitos:

“Já criamos espaços fora das estruturas físicas para atender os pacientes e fazer essa triagem. Esse atendimento é feito por uma equipa específica separada dos outros pacientes com quadros clínicos diferenciados.”


A Directora da Região Sanitária de Santo Antão diz que em relação às evacuações normais foram criadas as condições físicas em São Vicente para os enfermeiros que acompanham os pacientes permanecerem até regressarem à ilha.

Ângela Gomes nota que a covid-19 veio provocar, também, algumas reflexões em relação à forma de trabalhar nas estruturas.

“Esta pandemia trouxe alguns indicadores interessantes para serem repensados e avaliados. Neste momento temos os Bancos de Urgência praticamente limitados à pacientes que requerem cuidados de forma urgente. Também, não temos registado aumento de evacuações sanitárias porque diminuíram varias  actividades que as vezes provocam as evacuações como por exemplo acidentes de viação, ou de trabalho. Não temos registado aumento dos AVC, Acidentes Vasculares Cerebrais, que muitas vezes são provocados por situações de aumento de stress, nem outros problemas de descompensação de doenças crónicas. As medidas de controlo dos pacientes crónicos em casa, com a garantia das consultas via telefone, com a garantia da medicação entregue no domicílio, são medidas que tem demonstrado eficácia em termos de descompensação das doenças crónicas”.

A região Sanitária de Santo Antão tem sido reforçada com equipamentos de protecção individual e materiais de recolha de análises e que são utilizados não só pelos profissionais de saúde, mas também pelos elementos da protecção civil no trabalho de desinfecção das viaturas que chegam ao cais do Porto Novo.

Augusto Oliveira, RTC/ Santo Antão
Editado e disponibilizado online por Benvindo Neves

Comentários

publicidade


Vídeos Relacionados

Publicidade

Vídeos mais vistos da semana

Encontre-nos no Facebook

Instagram RTC

<